25/02/2010

Meu aniversário

Let Me Start By Saying Thank You to You

for the e-cards,e-mails, stars, testimonials, messages and all other birthday greetings.

I´m overwhelmed and very touched.

Kisses
Neidinha

***************

Quero agradecer, a todos que carinhosamente gastaram um tempinho do seu dia pra me desejar feliz aniversario aquipelo mensagens virtuais, deu certo, pois foi um dia muito feliz mesmo...
Aos que ligaram...
Aos que esqueceram...
Aos que fingiram que esqueceram...
Aos que não puderam estar on-line.
Deus dê em dobro tudo que me desejaram!
Sou uma pessoa muito feliz, feliz mesmo...
Pois tenho pessoas maravilhosas que me cercam...
Uns bem de perto...
Uns de longe...
Outros de bem longe...
Não importa a distância e sim o carinho...
Isso é um presentão de Deus pra minha vida...
Obrigado!

Bjs
Neidinha
***********************

Critica quem pode

CRÍTICA DE ARIANO SUASSUNA SOBRE O FORRÓ ATUAL

'Tem rapariga aí? Se tem, levante a mão!'. A maioria, as moças, levanta a mão. Diante de uma platéia de milhares de pessoas, quase todas muito jovens, pelo menos um terço de adolescentes, o vocalista da banda que se diz de forró utiliza uma de suas palavras prediletas (dele só não, de todas bandas do gênero). As outras são 'gaia', 'cabaré', e bebida em geral, com ênfase na cachaça. Esta cena aconteceu no ano passado, numa das cidades de destaque do agreste (mas se repete em qualquer uma onde estas bandas se apresentam). Nos anos 70, e provavelmente ainda nos anos 80, o vocalista teria dificuldades em deixar a cidade.

Pra uma matéria que escrevi no São João passado baixei algumas músicas bem representativas destas bandas. Não vou nem citar letras, porque este jornal é visto por leitores virtuais de família. Mas me arrisco a dizer alguns títulos, vamos lá:

Calcinha no chão (Caviar com Rapadura),
Zé Priquito (Duquinha),
Fiel à putaria (Felipão Forró Moral),
Chefe do puteiro (Aviões do forró),
Mulher roleira (Saia Rodada),
Mulher roleira a resposta (Forró Real),
Chico Rola (Bonde do Forró),
Banho de língua (Solteirões do Forró),
Vou dá-lhe de cano de ferro (Forró Chacal),
Dinheiro na mão, calcinha no chão (Saia Rodada),
Sou viciado em putaria (Ferro na Boneca),
Abre as pernas e dê uma sentadinha (Gaviões do forró),
Tapa na cara, puxão no cabelo (Swing do forró).

Esta é uma pequeníssima lista do repertório das bandas.

Porém o culpado desta 'desculhambação' não é culpa exatamente das bandas, ou dos empresários que as financiam, já que na grande parte delas, cantores, músicos e bailarinos são meros empregados do cara que investe no grupo. O buraco é mais embaixo. E aí faço um paralelo com o turbo folk, um subgênero musical que surgiu na antiga Iugoslávia, quando o país estava esfacelando-se. Dilacerado por guerras étnicas, em pleno governo do tresloucado Slobodan Milosevic surgiu o turbo folk, mistura de pop, com música regional sérvia e oriental. As estrelas da turbo folk vestiam-se como se vestem as vocalistas das bandas de 'forró', parafraseando Luiz Gonzaga, as blusas terminavam muito cedo, as saias e shortes começavam muito tarde. Numa entrevista ao jornal inglês The Guardian, o diretor do Ce ntro de Estudos alternativos de Belgrado, Milan Nikolic, afirmou, em 2003, que o regime Milosevic incentivou uma música que destruiu o bom-gosto e relevou o primitivismo estético. Pior, o glamour, a facilidade estética, pegou em cheio uma juventude que perdeu a crença nos políticos, nos valores morais de uma sociedade dominada pela máfia, que, por sua vez, dominava o governo.

Aqui o que se autodenomina 'forró estilizado' continua de vento em popa. Tomou o lugar do forró autêntico nos principais arraiais juninos do Nordeste. Sem falso moralismo, nem elitismo, um fenômeno lamentável, e merecedor de maior atenção. Quando um vocalista de uma banda de música popular, em plena praça pública, de uma grande cidade, com presença de autoridades competentes (e suas respectivas patroas) pergunta se tem 'rapariga na platéia', alguma coisa está fora de ordem. Quando canta uma canção (canção?!!!) que tem como tema uma transa de uma moça com dois rapazes ( ao mesmo tempo), e o refrão é: 'É vou dá-lhe de cano de ferro/e toma cano de ferro!', alguma coisa está muito doente. Sem esquecer que uma juventude cuja cabeça é feita por tal tipo de música é a que vai tomar as rédeas do poder daqui a alguns poucos anos.
Ariano Suassuna

Observação:

O secretário de cultura Ariano Suassuna foi bastante criticado, numa aula-espetáculo, no ano passado, por ter malhado uma música da Banda Calypso, que ele achava (deve continuar achando, claro) de mau gosto. Vai daí que mostraram a ele algumas letras das bandas de 'forró', e Ariano exclamou: 'Eita que é pior do que eu pensava'. Do que ele, e muito mais gente jamais imaginou.

Realmente, alguma coisa está muito errada com esse nosso país, quando se levanta a mão pra se vangloriar que é rapariga, cachaceiro, que gosta de puteiro, ou quando uma mulher canta 'sou sua cachorrinha'. Aonde vamos parar? Como podemos querer pessoas sérias, competentes? E não pensem que uma coisa não tem a ver com a outra não, pq tem e muito! E como as mulheres querem respeito como havia antigamente? Se hoje elas pedem 'ferro', 'quero logo 3', 'lapada na rachada'? Os homens vão e atendem. Vamos passar essa mensagem adiante, as pessoas não podem continuar gritando e vibrando por serem putas e raparigueiros não. Reflitam bem sobre isso, eu sei que gosto é gosto... Mas, pensem direitinho se querem continuar gostando desse tipo de 'forró' ou qualquer outro tipo de ruído, ou se querem ser alguém de respeito na vida!

21/02/2010

Oração das mulheres resolvidas!

Que tua semana seja maravilhoooosa
bjs
Neidinha
************

Oração das mulheres resolvidas!

Que o mar vire cerveja e os homens tira gosto,
que a fonte nunca seque,
e que a nossa sogra nunca se chame Esperança,
porque Esperança é a última que morre...

Que os nossos homens nunca morram viúvos,

Deus....
Eu vos peço sabedoria para entender um homem,
amor para perdoá-lo e paciência pelos seus atos,
porque Deus,
se eu pedir força,
eu bato nele até matá-lo.

Um brinde...
Aos que temos,
aos que tivemos e aos que teremos.

Um brinde também aos namorados que nos conquistaram,
aos trouxas que nos perderam
e aos sortudos que ainda vão nos conhecer!

Que sempre sobre,
que nunca nos falte,
e que a gente dê conta de todos!
Amém!!!! ....

18/02/2010

A Quaresma pela pequena via‏



Viver a Quaresma pela pequena via significa estar repleto do desejo de fazer pequenos sacrifícios inflamados pelo amor do coração de Cristo no mundo.

Certo ano, quando ainda era um jovem clérigo anglicano, decidi tomar a Quaresma realmente a sério. No quintal da casa em que vivia na Inglaterra havia uma casinha para passar as tardes quentes de verão – um pequeno e agradável abrigo com janelas e porta no qual se pode tomar um chá ou ler nos dias de verão. Pois bem: decidi que dormiria naquela casinha nos dias frios de fevereiro e março. Também resolvi abster-me de carne. Completamente. Para completar o meu estilo eremita, deixei a barba crescer.

Logo a paróquia toda ficou sabendo das asperezas a que o seu jovem cura se submetia: a reação dos jovens foi a admiração, enquanto os mais velhos e mais sábios preocupavam-se com a possibilidade de eu estar apenas “querendo aparecer”.

Foi uma experiência alegre e austera. Graças a ela, aprendi muito sobre mim e sobre a vida ascética e a sua relação com a oração e a vida espiritual. Jamais desencorajaria alguém que quisesse viver a Quaresma dessa maneira. Mas aprendi de Santa Teresa de Lisieux que também há uma pequena via para atravessar a Quaresma.

Teresa possuía uma inclinação juvenil pelos feitos heroicos. Queria ser uma valente guerreira por Cristo. Há uma bonita foto dela vestida de armadura como Joana d’Arc. Na fotografia, estão as seguintes palavras escritas pela santa: “Vesti-me com o peitoral do Onipotente e Ele armou-me com a força dos seus braços. Daqui para frente, nenhum terror pode ferir-me, pois quem me poderá separar do amor dEle? Ao seu lado, avanço no campo de batalha, sem temer o fogo nem o aço; meus inimigos descobrirão que eu sou uma rainha e a noiva de um Rei”. Noutro lugar, Teresa diz: “Anseio por levar a cabo os feitos mais heroicos; sinto a coragem de um cruzado dentro de mim. Seria capaz de morrer num campo de batalha em defesa da Igreja!”

“Precisas ser um santo por inteiro ou não serás santo de verdade!”, era o seu grito de guerra. E no leito de morte, ela dirá: “Morrerei empunhando minhas armas!”

E, no entanto, essa alma nobre deu-se conta de não ter as condições e as circunstâncias necessárias para ser um Francisco Xavier ou um Inácio de Loyola. Estava enclausurada num convento com mulheres burguesas. Era uma garotinha e uma garotinha doente.

Teresa espantou-se ao descobrir o misterioso segredo da pequena via. Lendo o capítulo 13 da Epístola de São Paulo aos Coríntios, percebeu que o amor é o coração ardente da Igreja e que a sua vocação era amar.

No capítulo 11 do seu livro História de uma alma, relata a sua experiência: “A Caridade deu-me a chave da minha vocação. Compreendi que se a Igreja tem um corpo, composto de diversos membros, o mais necessário, o mais nobre de todos não lhe falta. Compreendi que a Igreja tem um coração e que esse coração arde de amor. Compreendi que só o Amor leva os membros da Igreja a agir, que se o Amor viesse a extinguir-se os apóstolos não anunciariam mais o Evangelho, os mártires negar-se-iam a derramar o sangue... Compreendi que o Amor abrangia todas as vocações, que o Amor era tudo, abrangia todos os tempos e todos os lugares... numa palavra, que ele é Eterno!...”

Ela deu-se conta de que todos os feitos heroicos feitos sem amor nada valem. E escreve: “Sabes suficientemente bem que Nosso Senhor não olha tanto para a grandeza das nossas ações nem para o seu grau de dificuldade, mas para o amor com que as fazemos”.


***

A consequencia lógica disso é que as menores ações, quando feitas com a força do amor, se tornam grandes aos olhos de Deus. E essa doutorinha da Igreja nos ensina: “Nosso Senhor não precisa dos nossos grandes feitos nem dos nossos pensamentos profundos; nem de inteligência ou talentos. Ele dá valor à simplicidade”. A pequena via da Quaresma é repleta do desejo de fazer pequenos sacrifícios que estejam inflamados pelo Amor do Coração de Cristo no mundo.

Se decidirmos tomar a pequena via na Quaresma, a nossa oração será simplesmente compartilhar o dom do Amor divino descoberto por Teresa. Oferecido esse dom, os pequenos sacrifícios que fazemos tornam-se coisas pequenas mas preciosíssimas. São joias cintilantes de bondade que brilham ao refletir o fogo do Amor divino.

Teresinha disse que era isso que a movia nos tempos de dificuldade. Escreve a santa numa carta à sua irmã Céline: “Quando estou em aridez, isto é, incapaz de rezar e praticar a virtude, busco então pequeninas ocasiões de agradar a Jesus; por exemplo: um sorriso, uma palavra amável num momento em que desejasse calar ou mostrar-me aborrecida, etc. Se me faltam essas ocasiões, procuro ao menos repetir-lhe muitas vezes que O amo. Não é difícil e mantém vivo o fogo no meu coração. Mesmo quando essa fogueira de amor parecer extinta, atirarei nela alguns ramos secos, certa de que reacenderá”.

Alguns ficam preocupados com a ideia de que essa “pequena via” seria de fato uma “via fácil”. Noutras palavras: seria uma contemporização. A pequena via é simples, mas não é fácil. É simples porque está totalmente apoiada na graça de Deus e no seu dom de Amor divino às nossas vidas. Não é fácil porque para recebermos o dom da graça e da pureza precisamos purificar a nossa vida e abrir mão de tudo em favor dele.

O nome religioso assumido por Teresa na Ordem do Carmo era “Teresa do Menino Jesus e da Santa Face”; e assim como mudou de nome, mudou de natureza. Ela oferece-nos um caminho infantil para chegarmos a Deus – um caminho que contempla a face de Cristo, pela qual recebemos o dom do Amor.

É esse dom que transforma todas as nossas ações – preenchendo as nossas vidas com amor e tornando a nossa pequena via para a Quaresma uma preparação adequada para a o Triunfo pascal. Nasceu nos Estados Unidos, mas passou a maior parte da vida na Inglaterra, onde estudou teologia na Universidade de Oxford e onde tornou-se clérigo anglicano. Em 1995, converteu-se, juntamente com a sua família, à fé católica. Depois da conversão, passou a escrever sobre diversos temas da fé católica, publicando livros e artigos em revistas. Em 2006, pode ser ordenado sacerdote católico, sob a provisão especial para ex-clérigos anglicanos casados. Desde então, voltou ao país natal, onde é capelão da Saint Joseph’s Catholic School, em Greenville, na Carolina do Sul.

Fonte: National Catholic Register
Link: http://www.ncregister.com/site/article/a_little_way_through_lent/
Tradução: Cristian Clemente

Artigos Relacionados:

- A cruz de Cristo, medida do mundo, de John Henry Newman
- A Quaresma, de ACI Digital
- Coração entregue aos homens, de Jean Galot
- Necessidade da oração, de Luiz Fernando Cintra
- Os sofrimentos morais de Nosso Senhor na Paixão, de John Henry Newman

Livros Relacionados:

- “Pequena via” para Deus, A, de Santa Teresa do menino Jesus
- Cruz de Cristo, A, de Francisco Fernández-Carvajal
- Falar com Deus - Tomo II, de Francisco Fernández-Carvajal
- Por que mortificar-se?, de Luiz Fernando Cintra
- Teresa de Lisieux, de Henri Ghéon

Desejo de Mudança_repassando

Frequentemente estamos insatisfeitos com algo em nossas vidas ou em nós mesmos. Mas, em vez de encarar isso como algo desagradável, que nos torne amargos e resmungões, devemos fazer com que se torne o pontapé inicial para realizar mudanças importantes.

Para muitas pessoas, por mais que queiram modificar seus comportamentos, as expectativas acabam sendo direcionadas para coisas mais pontuais, como mudar de emprego, ganhar mais dinheiro, comprar uma casa, emagrecer, parar de fumar etc
E então vem sempre a questão: como colocar tudo em prática? Como administrar tantos objetivos e caminhar em direção a eles?

Antes de tudo, o mais importante é que se tenha um genuíno desejo de crescer, de se transformar numa pessoa melhor.
Então, devemos começar a nos perguntar:
quem sou eu hoje?
Quem eu desejo ser amanhã? O que realmente me move e me torna pleno?

À medida em que refletimos sobre estas questões, vamos nos tornando mais conscientes de que as mudanças que mais ansiamos não são aleatórias, ou baseadas na lógica de que devemos seguir aquilo que a sociedade vende como ideal de sucesso e realização, do que é certo ou errado, e que muitas vezes impomos a nós mesmos de forma racional. Pelo contrário, devem ser fundamentadas na nossa voz interna, aquelas que vão ao encontro de nossa essência, nossa verdade mais profunda.

Quem opta pelo caminho do autoconhecimento e da transformação logo percebe que não é uma tarefa fácil. Normalmente resistimos, porque é complicado mesmo sairmos da nossa zona de conforto. Não é de um dia para o outro que se abandona hábitos, manias, crenças, padrões de comportamento. É mais simples lidar com as limitações daquilo que conhecemos do que nos arriscarmos diante do novo.

Para não cairmos na armadilha de ficarmos apenas na intenção, sem conseguir, efetivamente, uma mudança concreta, o ideal é buscarmos viver o processo, em vez de focarmos apenas o objetivo final.

Mudar implica em fazer escolhas diferentes, que, por sua vez, implicam em novas atitudes. Novas escolhas e atitudes, por sua vez, atraem para nós novos acontecimentos, relacionamentos e oportunidades que, aos poucos, vão colocando à nossa disposição todas as ferramentas que necessitamos para avançarmos um pouco mais. Um passo de cada vez.

Não existe um “mapa da felicidade” que nos guie em direção daquilo que vai nos tornar plenamente satisfeitos. Portanto, não é uma mudança radical de hábitos de um dia para o outro que vai resolver nossos problemas. Tentar fazer isso vai, no máximo, nos esgotar emocionalmente. São nossas escolhas e atitudes diárias, cada vez mais conscientes, que nos tornarão mais próximos dos nossos objetivos.

Nossa capacidade de nos reinventar é ilimitada. Para isso, bastar deixarmos a preguiça de lado e nos permitirmos uma boa dose de ousadia para tentar fazer diferente, errar, mudar de idéia, descobrir aos poucos as respostas certas.

Só por hoje, escolha fazer diferente. Aos poucos, quanto mais você for se aproximando de sua verdade interior, mais vai perceber que tudo começa a fluir melhor.

http://yahoo.estrelaguia.com.br/astrologia/artigos/1497/

Quaresma_repassando

Depois da alegria ou euforia das festas e férias, chegamos a um tempo
de mais tranqüilidade, reconsideração, oração, penitência e caridade.

Para o mundo cristão, Quaresma é tempo de repensarmos nossa vida
e nosso relacionamento com Deus e com o próximo.

É um dever natural de gratidão para com o Criador e respeito pela vida,
buscarmos a paz e darmos mais atenção ao resumo dos mandamentos:
“Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.”

+ + + + + +

O Mistério Litúrgico

Tempo privilegiado de conversão, de combate espiritual, de jejum medicinal e caritativo, a Quaresma ainda é, e sobretudo tempo de escuta da palavra de Deus, de uma catequese mais aprofundada, que recorda aos cristãos os grandes temas batismais, em preparação para a Páscoa.

No Tempo da Quaresma o povo de Deus empreende um esforço exigente, porém libertador, que deve abri-lo ao chamado do Senhor e da comunidade cristã. Privando-se do alimento terreno, nas múltiplas formas que se lhe apresentam, aprenderá saborear,
acima de tudo, o Pão da Palavra de Deus e da Eucaristia, e melhor sentirá o dever de dividir os bens com os outros.

O concílio Vaticano II recomenda: “a penitência quaresma não seja só interna e individual, mas sobretudo externa e social.
E a prática penitencial, segundo as possibilidades de nosso tempo e das diversas regiões, como também,
consoante as condições dos fiéis, incentivada e... recomendada” (SC 110)

Celebrar a Eucaristia, no tempo da Quaresma significa:
- percorrer, juntamente com Cristo, o itinerário da provação que pertence à Igreja e a cada homem;
- assumir mais decididamente a obediência filial ao Pai e ao dom de si aos irmãos, que constituem o sacrifício espiritual.

Assim, renovando os compromissos do nosso Batismo, na noite pascal, poderemos “fazer a passagem” para a vida nova de Jesus-Senhor Ressuscitado, para a Glória do Pai, na unidade do Espírito.

+ + +

1- O Tempo de Quaresma vai da quarta-feira de cinzas até a Missa “na Ceia do Senhor”, exclusive.
Essa Missa vespertina dá início ao Tríduo da Paixão, morte e Ressurreição do Senhor, que tem seu ponto alto na Vigília Pascal e termina com as Vésperas do Domingo da Ressurreição.

A semana que precede a Páscoa tem o nome de Semana Santa e tem início com o Domingo de Ramos.

2- A Quaresma principia com um rito penitencial, na Quarta feira de Cinzas.
O rito da bênção e imposição das cinzas não é necessariamente unido à Missa; pode ser celebrado sem esta

Fonte: Missal cotidiano – Paulus edições – página 160

Visite e recomende a Capela Virtual em nosso portal!
http://www.apostolas-pr.org.br

Ir. Zuleides Martins de Andrade, ASCJ
http://zuleides.blogspot.com/

Acompanhe e indique a Rádio Evalgelizar AM 1060 - Curitiba!
No Programa "Experiência de Deus" - das 10h às 11h - será iniciada a novena contra o mal da depressão.
(Reprise às 18h e 22h - Avisem os familiares, colegas, vizinhos, amigos e inimigos!)
Deus deseja saúde para todos, em muitas dimensões da vida!

Visite o portal e veja a programação, como também em qual rádio de sua região,
alguns programas são retransmitidos. Pode-se ouvir, também via Internet
http://www.padrereginaldomanzotti.org.br/

17/02/2010

Motivos para nao casar.

Mensagens de Santo(a)s Católicos

“Nada te perturbe, nada te assuste, tudo passa. Deus nunca muda. A paciência tudo alcança. Quem a Deus tem, nada lhe falta. Só Deus basta!” Santa Tereza d’Avila

“Sentimos raiva principalmente contra aqueles aos quais pensamos que propositadamente nos prejudicaram” Santo Tomás de Aquino

“A alma se degrada quando não se eleva com a esperança da imortalidade”
Clemente XIV (1705 - 1774 * papa que aboliu a ordem dos jesuítas)

“Onde estarão o passado e o futuro, se é verdade que existem”
Santo Agostinho (354 - 430 * teólogo e filósofo)

“Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de repente você estará fazendo o impossível.” São Francisco de Assis

“Tudo tem o seu tempo determinado e há tempo para todo propósito debaixo do céu:
há tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de chorar e tempo de rir; tempo de abraçar e tempo de afastar-se; tempo de amar e tempo de aborrecer; tempo de guerra e tempo de paz.” Eclesiastes - 3

“Pertence aquele que tem fome o pão que tu guardas; àquele que está nu a capa que tu conservas nos teus guarda-vestidos; àquele que está descalço, os sapatos que apodrecem em tua casa; ao pobre o dinheiro que tu tens guardado. Assim tu cometes tantas injustiças quantas as pessoas às quais poderias dar.” São Basílio

“Uma prova de que Deus esteja conosco não é o fato de que não venhamos a cair, mas que nos levantemos depois de cada queda.” Santa Teresa de Ávila

“Não devemos permitir que alguém saia de nossa presença sem sentir-se melhor e mais feliz.” Madre Teresa de Calcutá

“Quando rezamos, falamos com Deus. Quando lemos a Sagra Escritura, Deus fala conosco.” Santo Isidoro

12/02/2010

Torne-se um lago_Santa Terezinha

Torne-se um lago!


Um dia Santa Terezinha pediu a uma jovem noviça triste que colocasse uma mão cheia de sal em um copo de água
e bebesse.
"Qual é o gosto?" Perguntou Santa Terezinha.
"Ruim" disse a noviça.
Santa Terezinha sorriu e pediu a jovem noviça que pegasse outra mão cheia de sal e levasse a um lago.
As duas caminharam em silêncio e a jovem noviça jogou o sal no lago, então Santa Terezinha disse:
"Beba um pouco dessa água".
Enquanto a água escorria do queixo da jovem, Santa Terezinha perguntou:

"Qual é o gosto?"
"Bom!" Disse a jovem noviça.

"Você sente o gosto do sal?" Perguntou Santa Terezinha.
"Não" disse a jovem.

Santa Terezinha então sentou ao lado da jovem noviça, pegou sua mão e disse:

"A dor na vida de uma pessoa não muda.
Mas o sabor da dor depende de onde a colocamos.
Então,quando você sentir dor, a única coisa que você deve fazer é aumentar o sentido das coisas.
Deixe de ser um copo. Torne-se um lago".


Muita saúde e paz!
bjs
Neidinha

09/02/2010

Nunca Desista!

NÃO DESISTA!
Nélio DaSilva

A vida traz consigo dois mandamentos fundamentais:

mandamento número 1: nunca desista!; mandamento número 2: sempre se lembre do mandamento número 1 Duke Ellington

A vida sempre terá seus desafios.
Sempre haverá tempos árduos, situações difíceis, grandes obstáculos, barreiras e montanhas a transpor, apunhaladas pelas costas, coisas desagradáveis a enfrentar, desapontamentos com que lidar, e promessas a cumprir a si mesmo.

Uma vez que agora você sabe de tudo isso, prepare-se. (...) faça o mais rapidamente que puder; e faça as coisas certas, durante o dia, durante a noite; estando sozinho ou em companhia de outros; faça gratuitamente, ou ganhe para fazer; faça para si mesmo; faça para o mundo.
No momento em que você deixar de fazer o que tem que ser feito as coisas simplesmente nunca serão feitas.

Se ando em meio à tribulação, tu me refazes a vida; estendes a mão contra a ira dos meus inimigos; a tua destra me salva. Salmos 138:7

Deus te abençoe!
Irineu

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Marcadores

activities (201) alegria (67) amor (123) ano novo (28) Bayeux (88) coração (74) Cristo (62) Deus (302) ebook (27) english (674) feliz (90) fundamental II (14) grammar (54) ingles (567) inglês (440) Jesus (355) lingua inglesa (518) Maria (101) neidefbg (41) neidinha franca (39) oração (69) paz (59) pb (63) professor (30) teacher (68) teaching (43) tips (183) worksheets (99)

Facebook

Arquivo do blog